domingo, 28 de março de 2010

Espelho Partido

“O espelho partiu/a moldura ficou”
Ana Hatherly


O espelho divide-nos
Bocados
nossos pelo chão
enquanto os dedos
sangram pela fúria
do vidro


Um espelho partido
ramos
do mesmo inteiro rosto
disperso na prata


A cerejeira
da moldura está
intacta.

J.T.Parreira

Um comentário:

Chris Amag disse...

Olá!

Estava passeando pelos blogs e o seu post chamou-me a atenção. Um estilo diferente, que assim como o espelho nos faz divididos em imaginar as metáforas espalhadas.

Fiquei pensando sobre "a voz que fala no poema". Um amor que se partiu? UMa pessoa dividida? Dúvidas que machucam? Ainda um pouco de esperança, pois a moldura está intacta... Ou a moldura siginifica que a pessoa, o amor era vaidade, um adorno, a essência estava quebrada?

Fazer poesia é uma arte, ler as poesias também...

Parafraseando Fernando Pessoa:
ao ler, tentei fingir o que sentia,
mas sei que quando escreveu já foi a segunda dor de reviver o que se passou...

Bjs
Chris Amag

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...