segunda-feira, 18 de maio de 2009

Um poema de Helder Nozima

Corro, mas não consigo fugir
Abaixo de mim, o chão se esfarela
Abrindo a boca, tragando o que encontra
Insaciável, nada o satisfará
Até que alcance os meus pés
E me arraste para as profundezas do abismo

Agarro-me ao que encontro pela frente
E lanço para trás, para ver se sou poupado
Entrego sonhos, planos, desejos
Desesperado, busco um apoio
Uma Rocha que não possa ser tragada
Onde possa, enfim, achar refúgio

Sinto o calor do inferno sob meus pés
O desespero das almas atormentadas
O furor dos demônios, a me reclamar
Querendo lançar-me em seus castigos
Sedentos para beber minhas lágrimas
E por fim a minha esperança

Mas vive o meu Redentor, aleluia!
É a Ele que busco, é para Ele que corro
Se sob meus pés, desaparecer a terra
Seu Espírito me fará voar
Sua mão me tomará e me erguerá
E não serei vencido

Meus inimigos podem destruir a tudo
Por fogo em tudo o que amo e desejo
Atirar a lama o meu nome, privar-me de sonhos
Mas meu espírito descansará no Senhor
Ele é a minha defesa, ao final, Ele me salvará
Pois dele sou, quem poderá arrancar-me de Sua mão?

Helder Nozima

Um comentário:

Anayran Pínheiro de disse...

Uma poesia que retrata a vida de muitas pessoas, talvez uma delas a minha...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...